Confirmamos mais uma participação que não poderia ficar de fora do documentário Quando Lembro de Chico. Jhon Harley, professor aposentado, atua no grupo espírita Scheilla desde 1980, integrante da Fundação Cultural Chico Xavier e da Casa de Chico Xavier e autor dos livros Voo da Garça e Nas Trilhas da Garça garantiu sua participação em nosso filme. Aguenta a emoção!

Jhon conviveu com Chico Xavier durante muitos anos e sempre buscou escrever sobre o lado humano de nosso protagonista e é hoje um de seus principais biógrafos Seu objetivo sempre foi deixar a figura de mito de lado e mostrar quem Chico era em sua essência. Para Jhon, Chico era um mineiro típico, que gostava de uma boa prosa e atendia a todos com o mesmo respeito e compreensão.

“Falar em Chico é falar em ética, falar em cidadania, falar em respeito pelas diferenças”

 

Jhon comenta que o médium era como todos nós, mas que deu tanto sentido para sua vida que chegou a parecer um anjo vivendo na Terra. Durante toda sua existência Chico sofreu, chorou, sorriu, amou, errou, acertou, com uma única diferença: demonstrou fidelidade a Cristo durante 75 anos de sua existência.

Harley comenta que Chico foi capaz de conversar com todos os brasileiros e não ficou restrito apenas ao movimento espírita justamente pelo fato de ter sido um grande homem. Um homem de bem, que independe da sua denominação religiosa.

“O Chico extrapolou os limites dos movimentos religiosos”.

Jhon conta que uma vez Chico estava atrasado para ir ao cartório e, quando ia pegar o ônibus em Uberaba, vê uma criança gritando o nome dele apavorada. O motorista do ônibus, por sua vez, não podia esperar a criança chegar. “Pode seguir que eu vou aguardar,” disse. O menino chegou todo apavorado e Chico perguntou o que tinha acontecido. “Eu queria te dar um beijo, tio Chico”. Essa cena, para ele, foi uma das mais impressionantes da vida. E foi como ele viveu. Uma história que traduz exatamente quem o médium realmente era.

Agora é aguardar para saber tudo o que ele vai nos contar durante as gravações.

“O homem que é mais feliz é aquele que tem menos necessidades. Nós sofremos por aquilo que não é necessário”

A Pozati Filmes, que produziu os excelentes documentários Data Limite segundo Chico Xavier (2014), The Afterlife Investigations (2015) e No meio de nós (2017), está lançando uma campanha para arrecadar fundos para a produção do novo documentário chamado “Quando lembro de Chico”.

Sua contribuição é vital para a realização deste projeto! Ajude-nos a materializar mais um grande sucesso global! Conheça cada cota de apoio e a formas de expressar nossa gratidão atreladas a cada uma delas! http://filmes.pozati.com/chico-xavier/

Iasmine Pereira

Author Iasmine Pereira

Jornalista, bruxona e Coordenadora de Comunicação da Pozati Filmes, Iasmine é parte do time do Círculo, uma galera que literalmente "sees dead people".

More posts by Iasmine Pereira

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.