Edgar Mitchell, participante da missão Apollo 14 e o sexto homem a caminhar na Lua, afirmou em uma entrevista recente que acredita que aliens pacifistas visitaram a Terra. O objetivo era impedir que ataques nucleares acontecessem durante a Guerra Fria. Isso, de acordo com ele, explicaria os avistamentos de Ovnis perto de bases militares na época.

Em uma entrevista recente ao Mirror Online, Mitchell diz acreditar que os OVNIs voavam em torno de bases militares durante a Guerra Fria, em uma missão para evitar uma guerra nuclear entre os EUA e a União Soviética. Tal informação ecoou esta semana em todos os principais veículos de comunicação ao redor do mundo, mas de fato não foi surpresa alguma para todos os expectadores do documentário Data Limite segundo Chico Xavier, lançado em 2014 pela CineMakers + Pozati Filmes, e transformado em livro em 2015 pela Citadel Editora (Conheça o livro clicando aqui). A visão do astronauta reforça o ponto de vista apresentado no documentário pelo ex-Ministro de Defesa do Canadá, Paul Hellyer, e por ufólogos como Ademar Gevaerd e General Paulo Roberto Uchôa.

O ex-astronauta ainda acrescentou:

Minha própria experiência conversando com as pessoas deixou claro que os ETs estavam tentando nos impedir de ir à guerra, ajudando a criar a paz na Terra.

Eu falei com muitos oficiais da Força Aérea que trabalharam nesses silos durante a Guerra Fria. Eles me disseram que os OVNIs foram vistos frequentemente no céu e muitas vezes desativavam seus mísseis. Outros oficiais nas bases da costa do Pacífico disseram-me que seus mísseis [de teste] foram frequentemente derrubados por naves alienígenas. Havia muita atividade naqueles dias.

Ele passou boa parte de sua vida no Novo México, não muito longe de Roswell ou do White Sands Missile Range, onde foram testadas as primeiras bombas nucleares. “White Sands foi um campo de testes para armas atômicas – e é nisso que os extraterrestres estavam interessados. Eles queriam saber sobre as nossas habilidades militares”, disse Mitchell.

Alguns anos antes, Mitchell disse que ETs haviam visitado a Terra, alegando que “se eles tivessem sido hostis, nós não estaríamos aqui para contar a história”. Na época, a NASA retrucou: “nós não rastreamos OVNIs. Nós não estamos envolvidos em nenhum tipo de acobertamento sobre vida alienígena neste planeta ou em qualquer lugar no universo. Dr. Mitchell é um grande americano, mas nós não compartilhamos das opiniões dele sobre esta questão.”

Mitchell é formado em engenharia aeronáutica, foi instrutor de matemática avançada e trabalhou na Força Aérea americana e na NASA por muitos anos. Mas ao voltar da missão Apollo 14 à Lua, em 1971, ele passou por uma experiência que mudou sua forma de pensar:

Quando ele se aproximou do planeta que conhecemos como lar, ele foi preenchido com uma convicção interior tão certa quanto qualquer equação matemática que ele já tinha resolvido. Ele sabia que o belo mundo azul para o qual ele estava retornando fazia parte de um sistema vivo, harmonioso e completo – e que todos nós participamos, como ele se expressou mais tarde, “num universo de consciência”.

Desde então, ele acredita sinceramente em visitantes extraterrestres à Terra. Em 1973, Mitchell fundou o Instituto de Ciências Noéticas (IONS), que tem por missão estudar os poderes de consciência, explorando fenômenos “que não necessariamente se encaixam em modelos científicos convencionais”.

A equipe de produção da Pozati Filmes esteve com Edgar Mitchell no final de 2014, em Cabo Canaveral (Flórida), para gravar uma entrevista com o astronauta, que fará parte do seu novo documentário intitulado NO MEIO DE NÓS. O filme promete aprofundar os temas tratados no Data Limite, explorando ainda mais conexões entre ciência e espiritualidade.

Com informações de Mirror Online
Fotos por Andy Freeberg/NASA

Juliano Pozati

Author Juliano Pozati

JULIANO POZATI É ESCRITOR, DOCUMENTARISTA E ENTUSIASTA DE NOVAS IDEIAS QUE INSPIREM A QUEBRA DE PARADIGMAS OBSOLETOS NAS ÁREAS DA ESPIRITUALIDADE, CIÊNCIA, FILOSOFIA E UFOLOGIA.

More posts by Juliano Pozati

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.